Aulas remotas funcionam, sim!

        As aulas virtuais seguem como alternativa durante a pandemia, mas muitos pais ainda não se adaptaram a essa nova rotina de home office ligado às aulas remotas. Realmente,  não é uma tarefa fácil para ninguém, considerando os próprios pais, professores e as crianças, que no meio de tantas incertezas se viram enclausuradas em suas casas sem contato com seus familiares, amiguinhos e sua rotina. Aí está a chave de tudo: rotina.
         Se você me perguntar se é possível dar certo pais trabalhando tempo integral – em casa- simultaneamente com seus pequenos acessando suas aulas e videos escolares responderei, ‘sim, certamente!’. Basta criar uma rotina diária, fazer um planejamento semanal das tarefas de todos os integrantes da família, com suas prioridades, colocá-las em prática e dar sequência. Por exemplo:
       – Imprima todas as atividades das crianças que serão solicitadas pelos professores no decorrer da semana, em um único momento, aos  sábados pela manhã. Separe os materiais pedidos para as próximas aulas e organize as mochilas com as matérias do dia seguinte assim que a lição de casa terminar.
      – Combine sua agenda de trabalho com a de seu marido, as reuniões principalmente, para que um de vocês sempre esteja mais acessível às crianças durante as aulas virtuais, caso elas precisem de ajuda. Claro que sua demanda é muito extensa e nem tudo será feito como gostaria ou no tempo que gostaria.
     – Defina os horários das refeições, tarefas escolares e domésticas e estipule limites a cada um. Lembre-se das prioridades, crianças precisam ter limites e as lições vêm antes das brincadeiras. Enquanto elas brincam, você trabalha. Explique a elas sobre respeitar as atividades de cada membro da família, tempo de cada um e importância que cada um tem para que tudo funcione. As crianças são participativas e colaboram bastante quando se sentem inseridas no contexto. Não adianta brigar para que parem de cantar enquanto você escreve uma matéria, não vai resolver, você terá que parar várias vezes. O melhor é combinar como deve ser feito.
     – Mantenha a rotina da família parecida com aquela antes da pandemia. Se seu filho tem aula virtual às 7h e você o levava diariamente para a escola nesse horário, fica mais fácil acordar, manter o ritmo e acessar o computador, não?
A expressão ‘tal pai, tal filho’ prevalece. Vocês são exemplos bons e ruins para seus filhos, não apenas o que falam, mas principalmente pelo que fazem. Os pequenos imitam suas atitudes. Se você não levar a sério a rotina escolar das crianças, dificilmente elas a levarão. Cabem aos pais, nesse momento, incentivar às crianças a assistir as aulas virtuais, respeitar o momento de interagir com os professores, cumprir os cronogramas e enviar as lições solicitadas.
     Note a diferença: seu filho acorda, toma café da manhã, escova os dentes, troca de roupa e acessa a aula com seus materiais do dia ao seu lado, em um ambiente claro e calmo. Você participa, ajuda quando precisa, se envolve com suas lições após o término da aula on line e se interessa por suas atividades. Em uma outra situação, você acorda seu filho minutos antes da aula começar, acessa o link da aula, coloca seu filho tomando leite enquanto a professora explica a matéria, ele corre de um lado a outro da casa perguntando do seu livro enquanto você está numa ligação de trabalho, e ainda senta para assistir a um desenho porque a tevê ficou ligada. E aí? Funciona?
     Não precisamos de mais estresse nesse momento nem causar estresse a eles. São pequenos demais para algumas coisas e entendem demais muitas outras. Converse, planeje, mantenha uma estrutura sólida e positiva. Entenda que são crianças e você está no comando, orientando com muito amor.
     Nesse período, pais e professores precisam estar em sintonia para que a criança não perca o interesse pelo ensino.  Não somos seus professores nem os professores são pais dos nossos filhos. Enquanto não descobrem uma vacina ou um remédio eficaz para a cura do coronavírus, seu filho está seguro em casa. É importante estudar, assim como trabalhar e desfrutar de momentos mais ricos em família, mas acima de tudo, o principal é ficar protegido.
     Em uma próxima matéria abordarei outras dicas para que essa integração escola e família seja equilibrada e que pais e filhos tenham uma conexão divertida aprendendo.
Por Marina Gaeta   Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *