Mãe de segunda viagem

O que esperar do seu primogênito enquanto seu caçula está para nascer? Quantas vezes você se perguntou se não deveria ter esperado seu filho crescer um pouco mais para engravidar de novo? Como contará a ele que ganhará um irmãozinho? E se for menina e ele preferir menino ou vice-versa?  Será que aceitará o bebê? Serão amigos? Está com ciúmes? São inúmeros questionamentos que nos deparamos dia e, principalmente, noite após descobrirmos que estamos grávidas de novo.

Foi assim comigo, mesmo com tudo planejado, e dificilmente alguma mãe não teve dúvida sobre esse tema. Por isso, estamos aqui para falar a respeito. Como é difícil você tentar advinhar o que se passa pela cabecinha de alguém tão pequeno como seu filho. Então, não tente. Esse é o primeiro passo. Seja sempre verdadeira, compartilhe esse momento tão maravilhoso com seu pequeno. Não espere a barriga crescer para contar porque ele se sentirá traído como qualquer adulto. Não precisa fantasiar muito, criar cenários ou argumentos, seja direta mas didática, lembre-se que não é hora de contar sobre a concepção em si, mas apenas que dentro de sua barriga tem um bebezinho se formando que precisará de cuidados, amor e atenção como ele.

Envolva seu filho nessa segunda gestação, permita que ele curta o bebê com você, sinta os ‘chutes’ com sua própria  mãozinha, faça carinho na sua barriga, conte a ele quando o bebê soluçar, mostre quando o bebê se mexer e deixar sua barriga toda pontuda ou maior de um lado só, e ensine seu filho (a) a conversar com o irmãozinho ou irmãzinha pelo nome já escolhido, pode até ser por ele caso você queira assim.



Seja qual for a idade da criança sempre existirá uma dúvida sobre a relação mamãe e bebê. Então é bem provável que ele sinta ciúmes ou até mesmo um certo incômodo ao perder seu reinado soberano e passar a dividir a atenção dos pais com o novo membro da família. A chave do segredo está aí, você só precisa ser você! Tudo muito claro e real. Lembre-se que todos pertencem a mesma família. Mesmo que seu filho se mostre insatisfeito com a novidade (não foi o meu caso, mas muitas vezes isso pode acontecer – para chamar sua atenção pode mudar seus hábitos noturnos, alimentares, chorar mais, deixar de estudar…) seja natural, não o recrimine, não cobre, não o adule… Permita que ele participe sempre. Leve-o nos ‘ultrassons’ para que ele consiga ver o que está acontecendo, para que ele sinta essa magia com você.

Com o passar dos meses sua mobilidade ficará limitada e mesmo que precise de repouso mantenha seu filho por perto. Sente-se no tapete, encostada em uma almofada, bem confortável e jogue jogos de tabuleiro, monte quebra-cabeças, leia para ele ou com ele, assistam filmes juntos… E se a diferença entre eles for bem pequena, pegue-o no colo quando você estiver sentada, deitem juntos abraçados no sofá, mantenha seu interesse no mundo dele, mostre que seu amor não muda, que vocês estarão sempre juntos e que o bebê virá para somar, para entrar no time de vocês e ele terá muito a ensinar para o pequeno que está a caminho.

Lembre-se que tudo e todos têm seu tempo e você pode fazer a diferença! Comigo funcionou!

Por Marina Gaeta  Foto: Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *